Buscar
  • fernandomeligeni

Ser tenista profissional ou de alto nível é muito difícil.



Muitos acreditam que ser “possível”  porque assistem a muito tênis na TV ou porque desconhecem as dificuldades dessa profissão.

Na minha opinião existem dois fatores fundamentais que dividem o tenista juvenil do jogador que tem chance de ser profissional.


Os fatores fundamentais são: a total dedicação e a “compra do desafio” tanto do jogador como do seu treinador. 


Da parte do técnico, o caminho fica muito mais difícil se ele tratar seu atleta como apenas “mais um”. 


Um jogador de tênis se faz com proximidade, com entrega, acompanhamento, dedicação e vivendo alegrias e tristezas juntos. 


Técnico que quer seu pupilo evoluindo precisa estar a par de tudo que acontece com ele.


Precisa ser a sombra dele.

 

Então precisa jogar por ele Fino? Não. 


Mas precisa entender que ele é o professor, o educador e está sendo contratado para resolver problemas e dar direções. Sem esse entendimento o jogador se perde nas dúvidas e nos medos do esporte.


O jogador, por sua vez, precisa se “entregar”. 

Vejo muito jogador contratando técnico e querendo mandar, querendo fazer da sua maneira.

 

Nãoooo dá certo. 


Jogador paga para ser mandado. 


Jogador obedece. 


Jogador precisa mostrar ao técnico que o esforço que é feito por ele vale a pena. 


Curiosamente, ao agir desta maneira, o jogador acaba apontando o destino certo do próprio barco, e o faz de forma consciente.

 

Mesmo sendo o comandando se coloca na posição de decisão. Um jogador que adota a postura de ser bem mandado opta por chegar onde ele e seu técnico desejam.


Por último e não menos importante. 


Os pais. 


Se tudo que escrevi estiver indo bem, técnico e atleta trabalhando legal e os pais não fizerem seu trabalho nada disso dará certo.


Pais precisam incentivar, ajudar, apoiar e se meter no que se tem que meter. 


Ser pai de tenista é abdicar um pouco (ou muito) dos seus prazeres pelo sonho deles.


Ser tenista é muito difícil e complexo para todos os lados. Grana, solidão, derrotas amargas, trabalho duro, pouco tempo para diversão fora das quadras e clubes, contusões, estagnação técnica, dúvidas, falta de informação, decisões difíceis sobre estudo e futuro. O tempo todo o corpo e a mente jogados numa imensa gangorra.


Se não fizer o caminho com coerência, verdade e um pouquinho de loucura fica muito difícil ser tenista. Diria que fica impossível ser tenista.

Eu vivi tudo isso e vejo muita gente ao redor passando pela mesma estrada.


Você que é técnico, pai ou tenista juvenil: está dentro desse barco? Ele está indo na direção certa?


Além de compartilhar pensamentos só me resta desejar ótima sorte para a galera. 

555 visualizações1 comentário