Buscar
  • fernandomeligeni

Nossos filhos no tênis


A molecada hoje se cobra demais. Os pais cobram demais, os técnicos exigem demais deles. Isso vem destruindo carreiras ou impossibilitando que elas existam. Sinto que a pressão é muito grande, com isso nossa molecada não ri, não curte, não vive a beleza do tênis juvenil. São resultadistas e amargos.

Duas das piores características para se aprender e ter chance de chegar.


Quando tento conversar com eles vejo impaciência e pouca informação. Vejo vontade sem rumo, vejo esforço sem entrega.


Ao mesmo tempo eles se fecham dentro dos aparelhos de celular e dos quartos, eles gritam desesperadamente por ajuda, serem escutados e respeitados. E aí, a meu ver está o ponto mais importante desta nova geração tenistica.

Antes fazíamos tênis a distância, com um punhado de informação e sem ser tão presencial. Pedíamos e eles faziam. Hoje o corpo a corpo, os exemplos, a paciência ao mostrar e ensinar tem que ser redobrada.

Eles estão mexendo com nossas formas de ensinar, viver, conviver. Temos dentro da quadra e por que não, fora delas também que adaptar o modo de ensinar. Sem entregar de bandeja, sendo firmes e mostrando exemplos, precisamos estar mais perto, mais presentes e falar mais a língua deles.

Queremos que eles cheguem lá. Mas será que o lá deles é o mesmo lá que nós queremos ou sonhamos? Onde é o lá do seu filho ou tenista?

Faço essa pergunta e te convido a pensar diferente a maneira de abordar a molecada.

0 visualização